Manejo

Conheça o Método LSA de Adestramento.

Após vários anos de teoria e prática na lida com equideos, este autor desenvolveu um novo método de adestramento de cavalos, chamado de Método LSA de Adestramento, dividido em básico e avançado, para cada uma das fases do adestramento de cabresto e do adestramento de sela.

O termo doma foi substituído pelo termo adestramento, por ser este mais indicativo da lida com animais racionais. Ao contrario, domar guarda relação com a lida de animais selvagens. O termo adestramento sugere mais refinamento no trato com o cavalo.

A exemplo do método da doma racional, o Método LSA de Adestramento tem na sua essência o uso da não violência e a integração plena entre treinador / cavalo. A diferença principal dos métodos usuais de doma racional é a eliminação do uso do bridão durante a fase inicial do adestramento de sela, chamada de adestramento básico.

Durante a fase do adestramento de baixo, denominada de charreteamento, é utilizado o buçal, um equipamento de origem colombiana. Na fase seguinte, do adestramento de cima, é utilizado a barbada, também de origem colombiana, uma versão avançada de um hackamore, de uso corriqueiro pelos treinadores do cavalo Quarto de Milha.

Manejo

Buçal, equipamento utilizado para o charreteamento. A cabeça do cavalo é totalmente envolvida, acionando simultaneamente todos os pontos de controle. Acima, através da testeira, que se liga a uma focinheira com proteção de feltro, exercendo pressão sobre a nuca e a região do chanfro, próximo à região de transição com o focinho. Abaixo, o afogador pressiona a região da garganta, contribuindo para firmar a testeira e a faceira da cabeçada na nuca, uma peça de sola fixa o buçal no meio da região mandibular e outra peça de sola fixa a focinheira do bucal na região do queixo, onde atua a barbela dos freios.

Hackamore

Barbada, ou hackamore, um equipamento utilizado para o inicio do adestramento de sela. Uma focinheira com três pontos de pressão exerce pressão no chanfro e outra peça com nylon trançado apoia na região do queixo. O comando é através de rédeas duplas, ligadas lateralmente nas argolas da cabeçada e abaixo, em argolas presas à peça inferior, de nylon trançado. As rédeas inferiores, quando acionadas de forma independente, exercem o efeito imediato de elevar a cabeça. As rédeas laterais, acionadas de forma independente, ou em conjunto com as rédeas inferiores, exercem os efeitos simultâneos da flexão vertical (da cabeça, pressionando a nuca ) e da flexão lateral ( cabeça e pescoço).

Indubitavelmente, mais de 90% dos vícios de doma e treinamento são desenvolvidos pelo mal uso de embocaduras, em especial o bridão. E logo esta, considerada a embocadura de principiantes, tanto cavalos como cavaleiros e amazonas. O bridão exerce ação elevatória da cabeça, favorecendo um dos vícios mais comuns: o posicionamento excessivamente elevado da cabeça. O segundo vicio de ocorrência mais comum é o chamado “cavalo ponteiro”, aquele que lança seu focinho à frente, atitude provocada pela má flexão da nuca. O uso do bridão não favorece o desenvolvimento de uma boa flexão da nuca. Outros vícios decorrentes do uso do bridão são: abrir e fechar a boca, pendular a cabeça.

Através do Método LSA de Adestramento, potros e potras podem ser adestrados a partir dos 24 meses de idade, desde que apresentem porte normal para a idade, bom direcionamento e sustentação na região dorso-lombar, boa estrutura óssea-muscular de tronco e membros, e aprumos sem desvios considerados graves, que são aqueles enquadrados como desvios totais de raio ósseo.

As vantagens do Método LSA de Adestramento são inúmeras:

- Possibilita avaliação precoce do potencial de andamento, o que se torna interessante em se tratando de animais destinados a venda em leilões, ou mesmo para apresentação a compradores no haras.
- Evita o adestramento de potros durante a fase critica da manifestação do libido, especialmente se estes potros já foram introduzidos na reprodução, o que geralmente ocorre por volta dos 30 meses de idade. O libido afeta negativamente o grau de concentração nas lições.
- Evita o adestramento de potras após terem sido cobertas, o que geralmente aumenta os riscos de reabsorção embrionária e/ou aborto.
- Reduz os riscos de danos à boca do animal, tendo em vista que retarda o uso de embocadura. Esta somente será introduzida quando o animal completar o adestramento basico, ou seja, estiver executando corretamente o passo, a marcha ou o trote, as paradas, os volteios à direita e à esquerda e o recuo.


CURSOS ONLINE
CLICK NO BANNER

Itaporanga-SE
Francisco Garcez
(Tito) - (79) 9977 8000

Carvalhos-Sul de Minas
Prop. Fernando Pizza -
(35) 3345 1552
Haras Boa Luz Seleção Mangalarga Marchador Marcha Picada pelagens pampa de preta e preta